quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

O xeque mate mais difícil do xadrez


Certa vez, pela ocasião do Nordestão em Recife-PE, no ano de 2000, o saudoso MI Alexandru Segal, que era o árbitro oficial do evento, observava a partida minha contra Egas Campos de Salvador. A partida foi para um final de Rei x Rei, Bispo e Cavalo. Eu estava em desvantagem, mas o meu adversário acordou um empate, alegando a falta de tempo para executar o famoso mate temático.

Foi então que entrou em cena o velho Segal, dizendo que daria um mate naquele curto espaço de tempo que restava. No relógio de Egas, faltavam exatos 2 min para cair a bandeira.
Ele com muita Maestria, demonstrou toda a sua capacidade técnica deste final incomum e muito complexo nos tabuleiros, para todos que rodeavam a mesa naquele momento. Assistimos a uma verdadeira aula deste raro tipo de final em competições.
Nunca me esqueci deste fato ocorrido na minha vida enxadrística.

quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

Pernambuco poderá ter um novo MI

Rafael Cabral apoiando o Projeto CEMAM

Rafael Cabral demonstrando o seu carisma com os alunos do Professor Anderson Diego (CEMAM)
Rafael Cabral com o Professor Anderson e o Diretor da ASFX Gildemar Santos 

O Pernambucano MN Rafael Cabral que está disputando o Campeonato Brasileiro Absoluto no Rio de Janeiro, poderá obter norma de (MI) Mestre Internacional se continuar com a grande performance que vem alcançando na competição, acumulando 3 pontos e vencendo dois  MFS. Luismar  Brito e Ricardo da Silva. Ontem ele ganhou do MI Eduardo Limp, merecendo elogios por parte do Presidente da Confederação Brasileira de Xadrez Darcy Lima que falou dessa possibilidade real.
Em Agosto de 2015, pela ocasião do Aberto do Brasil de Petrolina, ele visitou o projeto CEMAM, deixando os alunos do Professor Anderson Diego fascinados pela sua maneira gentil e humilde. 
Na 82ª edição do Campeonato Brasileiro Absoluto, o nosso MI Yago Santiago não vem fazendo um bom certame, porém estamos torcendo pelo sua recuperação, pois trata-se de um talento nato.

SOMOS TODOS PERNAMBUCO!!!

ACOMPANHEM O CAMPEONATO BRASILEIRO:

http://chess-results.com/tnr202941.aspx?lan=10&art=1&turdet=YES&flag=30&wi=984

terça-feira, 29 de dezembro de 2015

ENTREVISTA COM O CAMPEÃO PETROLINENSE FÁBIO PIRES

                                 FÁBIO PIRES X LUIZ EDUARDO

ENTREVISTA COM O CAMPEÃO PETROLINENSE FÁBIO PIRES DOS SANTOS

POR: EMÍDIO JOSÉ ALVES DE SANTANA – PROFESSOR DE XADREZ


Ele está numa fase extraordinária na sua caminhada enxadrística e já começa a sonhar com uma titulação de Mestre FIDE no futuro. Esse ano ele ganhou 6 torneios de 9 disputados. É o líder do rating rápido da Associação Sanfranciscana de Xadrez.

Fábio Pires dos Santos, o Campeão Petrolinense 2015, conseguiu esse feito inédito pela quinta vez e com a pontuação recebida chegou a faixa de 2100 no ranking da FIDE. Em breve teremos o primeiro CM Candidato a Mestre em Petrolina. No Aberto do Brasil 2015 em Petrolina ele ficou em 3º Lugar, à frente de enxadristas de destaques no cenário nordestino. Possui um jogo posicional e um nível técnico bem apurado na Arte de Caissa dominando as três fases do jogo com grande desenvoltura. E sem sombras de dúvidas o melhor jogador de xadrez em todos os tempos de Petrolina e região.

1- Como e quando começou a sua vida no xadrez?

 - Em outubro de 2003 o prof. Euclides desenvolveu um projeto de xadrez no centro de cultura Ana das Carrancas, o qual ele foi nas escolas convidar os estudantes. Inicialmente eu não queria participar pois o meu interesse era em outros esportes e também não queria acordar cedo para aprender xadrez, mas fui convencido por uma amiga a qual largou o xadrez em duas semanas mas eu acabei me apaixonando por esse esporte e estou aqui até hoje.

2- O que você achou do nível técnico do Campeonato Petrolinense 2015?  

 – No geral eu acho que o torneio foi muito bom, acredito que devido aos resultados anteriores de inicio a minha vantagem era muito grande, talvez se os 10 melhores tivessem jogado teria sido mais difícil, tendo em vista que uns arrancariam pontos uns dos outros assim como foi o Petrolinense de 2014.
Mas no geral existia um equilíbrio de nível muito grande, acho que dos 11 que jogaram 6 jogadores apresentavam um nível técnico muito similar o que proporcionou partidas duras as quais ninguém sabia o resultado e isso é muito bom, pois tanto incentiva aos jogadores querem evoluir como cria o que eu chamaria de “rivais” no melhor sentido da palavra pois só a pressão exercida por um adversário pode te fazer crescer.
Apenas 3 jogadores que a meu ver não estavam preparados para participar desse tipo de torneio e isso diferente do que pensam não é positivo para eles, perder faz parte e te trás incentivo para querer crescer, entretanto você jogar e sempre perder e nem conseguir dar um grande trabalho muitas vezes te faz mal psicologicamente o que pode acarretar o afastamento do esporte ou a perca da vontade de se dedicar.
Ainda sobre o Petrolinense fiquei muito feliz com a volta do Gildemar as grandes disputas e a do Euclides como arbitro. Também fiquei muito feliz com o pódio, onde as 3 gerações do xadrez Petrolinense foram muito bem representadas com Eu em primeiro representando a geração Carranca, Ramyres em segundo representando a geração escolar e Agnaldo em terceiro representando a geração da Associação Sanfranciscana.

3- Como você se sente nesse momento de glória no xadrez de Petrolina?

 – No meu TCC de formatura em Ed. Física na UNIVASF eu apresentei um trabalho sobre a Trajetória Histórica do Xadrez no Vale do São Francisco, onde observei o caminho que o xadrez na região trilhou. De 2004 a 2008 onde o xadrez na região teve seu ápice, com muitos clubes, torneios, grandes eventos, o grande desenvolvimento do xadrez escolar. Depois disso tivemos um momento de declínio no xadrez na região, com a volta de pessoas como Gildemar e Euclides para dar apoio ao prof. Emidio a associação pode novamente voltar a crescer, criando parceria com a Federação Pernambucana, trazendo novamente recursos para a realização de grandes eventos e a ampliação no numero de jogadores FIDE, eu vejo isso como o mesmo caminho que foi iniciado em 2004, como os primeiros passos para novamente o xadrez na região voltar a crescer e brilhar. Acredito que em 2016 o xadrez continuara nessa crescente, com grandes eventos, novas parcerias as quais já vem mostrando bons resultados.

4- Quais foram as suas maiores conquistas no xadrez?

 – As minhas maiores conquistas são divididas em duas partes as esportivas e as sentimentais, a nível esportivo acredito que tenha sido o segundo lugar no aberto do Brasil em juazeiro do norte em 2011 e o terceiro lugar no Aberto do Brasil de Petrolina em 2015, ambos são muito importantes principalmente se analisar que raramente eu participei de um aberto do Brasil e mesmo com poucas participações consegui subir ao pódio duas vezes e tem também o meus 5 títulos Petrolinense. Entretanto pessoalmente a conquista que mais me orgulha é que após 1 ano e meio que havia aprendido a jogar xadrez consegui me tornar primeiro o rating da Associação Sanfranciscana de Xadrez, para mim isso tem muita importância porque mostrou que não é o tempo que se pratica o esporte que vai ditar seu nível e sim sua força de vontade.

5- Na sua concepção o que é xadrez?

 – O xadrez é um estilo de vida, quantas pessoas que entraram no xadrez e descobriram nele uma profissão a qual modificou sua vida, Quantos casais já foram formados no âmbito do xadrez, quantas amizades se criaram. Um enxadrista é um enxadrista em qualquer parte do mundo, se você sair daqui e chegar em qualquer lugar e disser que joga futebol, vôlei, domino, etc. é normal, nada mais, mas se você chegar e disser que joga xadrez, logo outro enxadrista vai te chamar pra jogar, te levara pra conhecer a cidade ou seja somos quase uma sociedade secreta com a diferença que não somos secretos (risos), temos orgulho de dizer que somos enxadristas e isso é que nos leva a continuar no jogo, porque se fosse só por jogar ficaríamos jogando em casa na internet, se fosse só pelo troféu só jogaríamos os torneios que soubéssemos que temos chances de ganhar ou compraríamos um troféu. Jogamos porque somos enxadristas.

6- Contextualize as suas partidas em três palavras chaves.

 – Vejamos... Em três palavras eu acho que posso descrever da seguinte forma.
Técnica – treino buscando a essência do jogo.
Precisão – buscando sempre o melhor lance, sendo que como dizia Lasker nem sempre o melhor lance é o do tabuleiro, às vezes o melhor lance é o que mais incomoda o seu adversário.
Confiança – confiar sempre em si, um adversário não é inferior e nem superior, ele é igual então não devo subestimá-lo e também não devo temê-lo, tenho que sempre confiar em mim, “ninguém sobe na vida com medo da altura”.

7- Vi algumas vezes aquela partida sua contra Roberto Calheiros. Achei espetacular. Faça um comentário sobre a mesma. 

– Realmente aquela partida é a minha melhor partida, infelizmente no site da FIDE ela esta com o final digitado errado mas no meu blog eu coloquei ela correta. Ela até já me rendeu quase uma vitória em outro torneio, um grande jogador do Ceará foi se enfrentar comigo e no quinto lance propôs empate, eu rejeitei, no final acabei ganhando e ele veio falar pra mim que quando viu que ia jogar comigo foi pesquisar minhas partidas e viu aquela contra Calheiros e ficou muito nervoso não queria se arriscar por isso propôs empate tão cedo.
Essa partida é a maior lição de que os conceitos do xadrez podem te guiar em qualquer situação da partida. Eu estava começando a estudar o livro de Nimzovich o famoso meu sistema, quando Calheiros usou uma abertura que eu não conhecia a qual começa atacando pelas laterais eu me agarrei no conceito de Nimzovich que dizia “contra um ataque nas alas se realiza um contra-ataque no centro” e assim fiz, até que o ataque na ala acabou morrendo por falta do apoio no centro, depois quando ele atacou minha torre perdendo tempo, voltei aos conceitos de domínio de centro e desenvolvimento, o que me fez sacrificar a torre, o resto por mais que possa surpreender por ter sido tão longo foi tudo calculado (um dos cálculos mais longos que já fiz) eu tinha certeza que um cálculo tão longo devia ter algum erro, mas quando joguei a partida pra analisar no programa me surpreendi porque não havia erros.

8- Como você desenvolve os seus treinos?

 – Atualmente não ando tendo tempo para manter um ritmo de treino, mas geralmente o meu treinamento sempre foi periodizado, não adianta querer treinar só na véspera dos torneios porque isso não terá resultado e como eu raramente tenho com quem jogar o treinamento se torna ainda mais fundamental.
Eu sempre procurei dividir meu treino em desenvolvimento da intuição posicional, cálculo de variantes, resposta de problemas, jogo posicional e conceitos de jogo. Sendo que a única coisa que eu deixo para treinar perto do torneio é as variantes de abertura, dependendo da importância do torneio vejo quem são os principais adversários e pesquiso qual variante vai causar maior problema para o estilo do meu adversário.

9- Você tem objetivos traçados para o seu futuro no xadrez?

– Tenho grandes planos futuros, quando terminar meus estudos pretendo viajar e jogar mais torneios podendo assim lutar para conseguir o titulo que para mim seria a concretização de uma carreira tão gloriosa que seria o titulo de Mestre Fide. Outro plano que tenho traçado seria um projeto para o desenvolvimento do xadrez aqui, tendo em vista que a minha formação é no âmbito esportivo e buscando uma formação de Mestre e de Doutor, posso conseguir alguns contatos para com isso tentar angariar verba para organizar um aberto do Brasil, com a quantia arrecadada das inscrições poderíamos reverte-la para um circuito de torneios rápidos e relâmpagos assim já teríamos uma boa quantia garantida para cada torneio. Esse projeto que tenho é justamente para incentivar o crescimento e desenvolvimento no xadrez. Tenho outros projetos também já em mente mas se fosse escrever todos daria algumas paginas mas resumindo eu e o xadrez ainda teremos muitos capítulos juntos.

10- Quais os seus planos futurísticos para a sua carreira acadêmica em Educação Física? 

 – Meus planos já estão bem traçados e encaminhados, pois me formei em licenciatura em Ed. Física pela UNIVASF e agora to cursando o Bacharelado em Ed. Física, sendo que ao mesmo tempo estou cursando e meu Mestrado em Ciências da Saúde e já tenho projeto para tentar um Doutorado. Tudo isso visando me tornar um professor universitário. As principais áreas que estou estudando é a da Fisiologia do Exercício e a parte do exercício e a Saúde, claro que o xadrez em diversas universidades já vem sendo abordada como disciplina inclusive na UNIVASF e pretendo também trabalhar nessa área dentro de uma faculdade e realizar pesquisas para cada vez mais demonstrar que psicofisiologicamente o xadrez é um esporte extraordinário.

11- O que você acha do xadrez nas escolas? Exemplifique alguns motivos que justificam o xadrez no âmbito escolar.

 – O xadrez assim como outros esportes proporcionam benefícios para o individuo que o pratique, no caso do xadrez ele proporciona benefícios psicofisiológicos, os quais na infância demonstram ainda mais benefícios tendo em vista que a criança é um organismo em formação. Pesquisas demonstram que a pratica do xadrez proporciona de forma fisiológica a propagação de novas conexões neurais e desenvolvimento da neuroplasticidade, no quesito psicológico a melhoria do raciocínio, memória, concentração, capacidade de controle emocional, entre outros. Com tantos benefícios que o xadrez pode proporcionar deveria ser disponibilizado em todas as escolas, auxiliando no desenvolvimento dos estudantes, pois trás benefícios comprovados e com um custo relativamente baixo, alem de proporcionar para a criança o sentimento de fazer parte de algo, sentimento esse que ele levara para outras partes de sua vida.

12- Levando-se em consideração o marketing, o que você achou da aparição do xadrez na novela “A Regra do Jogo”?

 – Assim como tudo na vida “o marketing é a alma do negocio”, então quanto mais falado, mais mostrado o xadrez for, maior será a adesão a pratica. Assim como quase todas as pessoas que entraram no mundo do xadrez, em algum momento o xadrez foi mostrado e com isso surgiu a curiosidade e da curiosidade veio a pratica e da pratica a paixão pelo jogo, entretanto como o xadrez ainda é pouco difundido em relação a outros esporte, quantos grandes jogadores podem esta ai perdidos no mundo que nunca foram apresentados ao xadrez e por conseqüência deixaram de se tornar grandes enxadristas. Acredito que o marketing proporcionado pela novela e por filmes que abordam o xadrez vem a trazer essa curiosidade sobre esse jogo e com isso teremos novos enxadristas.

13- Defina os seguintes astros do xadrez com uma palavra: Mequinho- Bobby Fischer- Karpov-Kasparov- Aleckine- Capablanca- Magnus Carlsen- Judit Polgar.

– São todos grandes astros do xadrez, os quais de sua forma trouxeram uma contribuição fundamental para o xadrez, claro que cada um com uma característica a qual vou buscar relatar em uma palavra de cada.

Mequinho – Estrela-cadente
Bobby Ficher – Dedicação
Karpov – Sortudo
Kasparov – Gigante
Alekhine – Guerreiro
Capablanca – Maquina
Magnus Carlsen – Talento
Judit Polgar – Fenômeno

14 – Destes nomes qual o mais completo em todos os tempos?

 – Desses nomes o mais completo sem duvida é Bobby Fisher, ele pode não ter sido o maior talento nato do xadrez pois para mim foi Capablanca, mas ele estudou xadrez mais que qualquer um na historia e com seu talento e sua dedicação ele conseguiu se tornar um jogar muito forte, diferente do que muitos pensam ele não era de fazer sacrifícios, na verdade sua capacidade de calcular e criar planos era tão formidável que pensavam que era um sacrifício mas na verdade estava tudo calculado, ele não gostava de entregar material sem ter algo palpável em troca, coisas que só muito treino deram a ele.
Entretanto para mim ele não foi o melhor de todos os tempos, ele é o melhor dessa lista que foi colocada, o melhor de todos os tempos para mim foi Paul Morphy.

15- Em sua opinião, qual os 10 melhores enxadristas de Petrolina e região na atualidade, obedecendo critérios técnicos?

– Pelas minhas observações atuais, mesmo relacionando os que estão afastados do tabuleiro mas que eu sei mais ou menos como esta o nível e os que estão ativos, cheguei a seguinte conclusão dos 10 melhores de Petrolina e região em minha humilde opinião.

1- Fabio Pires (posicional)
2- Gilson Rosa (tático)
3- Ramyres Coelho (tático)
4- Mateus Augusto (tático)
5- Ronielly Coelho (posicional)
6- Emídio Santana (posicional)
7- Anderson Amorim (tático)
8- Pablo Silva (tático)
9- Maciel Carvalho (posicional)
10- Leandro Rosa (posicional)

Cheguei a essa lista após avaliar quais jogadores possuem melhor técnica, os quais mesmo afastados quando retornam sempre apresenta bons resultados.
Também decidi colocar ao lado do nome a impressão que tenho do estilo de jogo de cada um, demonstrando que no xadrez não existe um estilo melhor que o outro existe o fator dedicação o que proporciona ao seu estilo uma evolução.

16- Você tem algum agradecimento a fazer ao xadrez?

– “Se enxerguei mais longe do que outros foi por que estava sobre os ombros de gigantes” Isaac Newton.

Comecei com essa frase do grande cientista Newton para dizer que se cheguei onde cheguei é porque grandes pessoas me deram oportunidade e incentivo para isso. Agradeço ao prof. Euclides sem o qual não teria aprendido a jogar xadrez e o qual criou um ambiente saudável e amigável no centro de cultura Ana das Carrancas para que inspirasse os jovens a se desenvolverem.
Agradeço ao senhor prof. Emidio e ao professor Agnaldo tanto pelas organizações de torneios sem os quais não nos daria objetivos para treinar, tendo em vista que sem torneios um treinamento seria sem motivos e por isso não existiria, também agradeço aos objetivos que indiretamente fui imposto, lembro até hoje um dia que estavam visitando o carranca o senhor e Agnaldo, sendo que durante uma partida entre ambos eu comentei com um de seus alunos “será que um dia chegarei a jogar como eles?’ e escutei a seguinte resposta “ jamais eles jogam a muito tempo, são muito bons” e com isso tive mais incentivo para querer evoluir para alcançar aqueles que sempre admirei,
Agradeço a Deus por sempre me dar forças e colocar um objetivo para está interessado em continuar jogando e principalmente a minha mãe a qual mesmo não sabendo nada sobre o xadrez “alias ela nem gosta de xadrez” ela sempre me apoiou para que eu tivesse condições de evoluir.
E agradeço ao xadrez em si, o qual desenvolveu muitas coisas em mim, para quem não sabe eu sempre tive problemas de concentração e com o xadrez hoje consigo me concentrar de tal forma que quando preciso parece que o mundo não existe, isso me ajuda muito em diversos momentos na vida.

17- Qual o conselho que você daria para quem está começando no xadrez?

– O xadrez não é somente um jogo, quando você permite o jogo entra em sua carne, ele vira parte de você, te proporcionando novos amigos, um ambiente o qual sempre se sentira bem, seja nos momentos difíceis ou nos momentos alegres, o mundo do xadrez não te exclui, você pode se voltar para ele seja na aula da escola com seus amigos de classe, seja em torneios, conhecendo novas pessoas, seja sozinho em casa com programas de computador ou jogando em sites, o xadrez sempre esta lá, quem pratica entra pra família, quando viajamos somos sempre bem recebidos por outros jogadores em qualquer lugar, então mergulhe sem medo.

E pra finalizar duas coisas que gosto de falar tanto para os iniciantes como para aqueles que já têm um tempo que pratica. Em um torneio de xadrez nem sempre quem mais ganha é o campeão, o grande vencedor é aquele que mais se diverte.

Quando você for jogar com um jogar mais forte não fique com medo, fique tranqüilo afinal todos esperam que você perca, ou seja se você perder será normal, mas se ganhar se transformara em um herói, ou seja nessa partida você não tem nada a perder e tudo a ganhar então não fiquei nervoso e quando for jogar com alguém mais fraco não fique preocupado afinal teoricamente você tem muito mais chances de ganhar.


Obrigado! Fábio Pires pela entrevista. 

segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

A Associação divulga Rating Rápido 2015

A Associação Sanfranciscana de Xadrez divulgou o rating rápido 2015. Confiram e vejam como ficou a sua classificação. No Absoluto Fábio Pires e nos Menores Ícaro Darlan continuam na liderança. 
Maiores detalhes no Blog:  http://assocsanfranciscanadexadrez.blogspot.com.br/

RATING DO ABSOLUTO


RATING DOS MENORES

quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

FELIZ NATAL! E UM 2016 DE PAZ


Graças à participação dos enxadristas de toda região Sanfranciscana conseguimos realizar grandes competições em 2015.
Com o apoio irrestrito da Confederação Brasileira de Xadrez e da Federação Pernambucana de Xadrez, as quais, a Associação Sanfranciscana de Xadrez é filiada, organizamos os três maiores torneios do ano em Petrolina. A saber: 9º Torneio Infantil da Associação do Ministério Público de Pernambuco, com uma premiação recorde nestes tipos de evento no Brasil. Voltamos a promover um Aberto do Brasil em Petrolina, depois de 7 anos, com a premiação de R$ 4.000,00. Fizemos o 1º IRT da Associação Sanfranciscana de Xadrez, com a movimentação de rating Fide dando a oportunidade de novos nomes surgirem na listagem de rating internacional. E por último fechamos o nosso calendário anual, com o tradicional Campeonato Petrolinense Absoluto, valendo rating FIDE e  contando com uma premiação de R$ 1.000,00. Conseguimos também, expandir o nosso raio de atuação com a inclusão de Sobradinho-BA, no nosso calendário anual de competições.
Em 2016, continuaremos à frente da entidade mor do Xadrez Sanfranciscano, promovendo mais eventos e colocando sempre em destaque o nosso esporte. Para que isso aconteça, gostaríamos de contar com o apoio dos professores, pais, alunos, parceiros, patrocinadores e dos enxadristas em geral de Petrolina e Região.

Tenham um Natal de PAZ e ALEGRIA e um 2016 de grandes realizações. São os votos de todos os membros da ASSOCIAÇÃO SANFRANCISCANA DE XADREZ.